Autoconhecimento – comece pelo seu centro

Autoconhecimento – comece pelo seu centro

O autoconhecimento é muito importante para ter mais autocontrole e lidar melhor com as emoções e sentimentos, conquistando mais qualidade de vida, realização pessoal e profissional. Com mais ações preventivas do que corretivas perde-se menos tempo correndo atrás dos problemas, “apagando incêndios”, resolvendo crises e reagindo aos acontecimentos. Ganha-se maior controle da situação, e a possibilidade de ajustar com muito mais facilidade as rotas do caminho.

Se conhecer melhor diminui a ansiedade e o estresse e aumenta a sensação de controle, autoestima e autoconfiança. A pessoa se sente mais fortalecida, preparada, motivada e organizada para definir e executar os planos de ação, mais segura para ajudar as outras pessoas: familiares, amigos e clientes.

As instruções para procedimentos de emergência nos aviões são claras: primeiro coloque a máscara de oxigênio em você e depois nas crianças e pessoas que precisarem de ajuda. Se você não estiver bem consigo mesmo, como poderá apoiar os outros? Se você não se conhecer, não se entender, não tiver a clareza de seus anseios mais profundos, dúvidas, medos, sentimentos, propósito, como você vai poder conhecer melhor os outros, se relacionar com eles e ajudá-los?

A cada dia você passa por novas experiências. Todo dia é diferente do anterior. Aprender a se auto-observar é fundamental para estar mais consciente dos comportamentos e atitudes que aproximam ou afastam da conquista dos objetivos.

O início da caminhada empreendedora deve incluir um olhar profundo para dentro, para o seu centro, a sua essência. Quanto mais você se comunica e se relaciona consigo mesmo e entende os seus porquês, “mais leve” fica olhar para fora, se relacionar e se comunicar com as pessoas ao seu redor.

Fazer a conexão do “olhar para fora” com o “olhar para dentro” amplia a consciência e te aproxima do seu propósito e missão de vida.

Conhece-te a ti mesmo, torna-te consciente de tua ignorância e serás sábio. Sócrates

🌺 Por onde (re)começar? Experimente marcar um encontro com o seu eu interior, a criança dentro de você que pode ter deixado os sonhos guardados dentro de gavetas ou muito bem escondidos. Essa reconciliação é o primeiro passo para o autoconhecimento e a aceitação, a redescoberta da sua essência. Esse encontro com você mesmo pode até ser dolorido, mas se for feito de forma sincera, pode ser fundamental para o seu sucesso na jornada empreendedora.

Confira abaixo um lindo poema sobre Recomeços:

Começar de onde eu sou, por Deborah Dubner – livro “Jornada das danças circulares.”

“Todo dia é um convite ao começo. Sonhos desfeitos podem ser refeitos. Promessas não cumpridas podem ganhar realidade. O desejo da alma pode se manifestar com força e esperança. Mas não é assim tão fácil, embora seja simples.

Começar de onde eu sou implica em um compromisso comigo mesma. Difícil, porque muda hábitos, arranca certezas, desafia a coragem. Simples, porque está tudo dentro de mim. Ninguém me impede a não ser eu mesma.

O que sou hoje não é apenas resultado do que fui: é muito mais, porque inclui tudo aquilo que está manifestado, mas é. Tem muito mais em mim para nascer o que já vive. A jornada para o que eu sou não tem ponto final, apenas vírgulas e reticências.

Começar de onde eu sou parece pouco, mas é infinito. Sou todos os planetas que moram no meu céu estrelado. Sou todos os caminhos ainda não percorridos, seja por timidez, medo ou desconhecimento.

Sou também os passos que já dei, as horas que guardei, o tempo que não esqueci. Sou tudo e nada, mar de profundezas, reino de surpresas. Como a semente que abriga a árvore em sua pequenez.

Tenho urgência de andar minha palavra ao som do coração. Tenho fome de realizar minha existência. O curioso é que quanto mais me aproximo, menos garantias eu recebo. Capricho da vida, destino dos famintos.

Começar de onde eu sou grita na alma.  Todos nós podemos dar esse passo. O dia é hoje, o tempo é agora, o lugar é aqui. O maior desafio é desapegar daquilo que nos ancora. Temos medo de esquecer ou de sermos esquecidos. Empacamos por falta de segurança ou de esperança. Paralisamos pelos fantasmas assustadores de nossa mente inteligente. E sucumbimos. Mas os barcos são feitos para navegar e não para morar no porto.

Começarei hoje de onde eu sou. Meu ponto de partida vai além do que cheguei, porque promete o amanhecer da minha noite.

Terei disciplina para não desviar.

Terei ousadia para ouvir o silêncio entre as ondas.

Terei coragem para dizer não.

Terei sabedoria para dizer sim.

Terei guiança do universo, confiança no intento e gratidão na voz.

Triste hábito de trancafiar o talento nos porões da rotina. Há que emergir. Começarei hoje de onde eu sou.”