Quanto tempo dura a felicidade?

Quanto tempo dura a felicidade?

Nas minhas pesquisas sobre produtividade encontrei uma afirmação de que “a felicidade dura apenas 3 meses”!!! E que a ciência chama esse efeito de esteira hedônica. Trabalhamos, progredimos e conseguimos coisas mais bonitas e em maior quantidade. No entanto, não nos tornamos mais felizes.

Esteira hedônica? O que é isso? E o que tem a ver com felicidade?

(Re)Definindo seus Sonhos de Vida

(Re)Definindo seus Sonhos de Vida

Você é uma pessoa empreendedora, que tem sonhos e expectativas de um futuro melhor? Ou a sua vida está no piloto automático e você nem se lembra se algum dia teve um sonho?

Sonho é um projeto de vida, algo que dá sentido à sua existência, que te faz encontrar a motivação para superar as dificuldades e aprender com os desafios.

Sonho ou desejo?

Encontrei uma definição muito interessante de Augusto Cury falando sobre a diferença entre sonhos e desejos. Segundo ele, “sonhos são projetos de vida e desejos são intenções superficiais”. O desejo é o querer, ter a vontade ou expectativa de possuir ou alcançar algo, satisfazer as necessidades mais básicas, como sobrevivência.

Independente se você tem muito ou pouco dinheiro, muitos ou poucos momentos de prazer, pode ser  complicado e doloroso ficar com uma sensação de vazio, como se a vida não fizesse sentido. E isso pode acontecer quando você não tem um sonho, ou quando ele está dormindo lá dentro de você e por diversos motivos você não tem coragem de acordá-lo.

“Cada sonho que você deixa pra trás, é um pedaço do seu futuro que deixa de existir.” Steve Jobs

Muitas pessoas podem ter dificuldade para identificar seus sonhos. Talvez porque nunca tenham parado para pensar de uma forma mais aprofundada sobre isso, ou estão muito ocupados com a correria do dia-a-dia, ou insistem em realizar alguns sonhos de infância que talvez não façam mais sentido.

Recebi uma mensagem de uma coachee muito querida na virada do ano, em que ela desejava “um renascer de velhos sonhos”.

Convido você a fazer uma reflexão profunda sobre os seus sonhos.

Você atingiu todos eles, ou está próxima de atingir?

Quando for (re)definir seus sonhos, você deve prestar muita atenção e ser o mais sincera consigo mesma. Não são os sonhos do seu pai, da sua mãe, do seu marido, do seu chefe ou de nenhuma outra pessoa. São os “seus” sonhos de vida.

Se é realmente um sonho que é seu e de mais ninguém, o que você está fazendo para tornar ele realidade? É mais fácil deixar ele guardado em alguma gaveta ou escondido dentro de você, muitas vezes fingindo  não perceber a autossabotagem para não realizá-lo?

Se você se sente muito longe ou distante, isso pode ter acontecido porque talvez esse sonho nunca foi seu de verdade, e sim de alguma outra pessoa com um alto poder de persuasão. E você simplesmente se deixou influenciar de alguma forma.

Você tem 3 alternativas:

  • Refletir com sinceridade e definir um sonho que é seu de direito, algo que faça sentido para você e para a sua vida
  • Definir um sonho que você entende que é seu e testar se é isso mesmo que você realmente quer, revendo depois se for necessário
  • Assumir que não é um sonho seu, e sim de outra pessoa (ou da sua empresa), mas que você está empenhado em ajudá-la a atingir porque isso vai te trazer algum benefício

 

Realizar sonhos exige muito planejamento, disciplina, garra e dedicação. A jornada pode ser difícil, mas a sensação de ter um sonho realizado é única e inesquecível.

Sem sonhos, a vida não tem brilho. Sem metas, os sonhos não têm alicerces. Sem prioridades, os sonhos não se tornam reais. Sonhe, trace metas, estabeleça prioridades e corra riscos para executar seus sonhos. Melhor é errar por tentar do que errar por omitir.Augusto Cury

Jeffrey Sachs

A atenção plena nos leva a gastar mais tempo e energia atendendo às nossas necessidades mais profundas e satisfatórias, nossas necessidades de significado e conexão.

Adelaide Giacomazzi
Adelaide Giacomazzi

Foco e Satisfação do cliente

Foco e Satisfação do cliente

O livro Satisfação garantida conta a trajetória de Tony Hsieh, CEO da Zappos, empresa líder em vendas online de calçados.

Tony Hsieh sempre teve um espírito empreendedor. Começou tentando vender minhocas aos 9 anos de idade, foi entregador de jornais, depois criou o seu próprio jornal, vendeu buttons customizados por catálogo, foi programador de computador, tentou vender truques de mágica, testou videogames. Depois que se formou pela universidade de Harvard, virou programador na Oracle, mas ficou entediado rapidamente. Junto com seu colega de quarto criou a LinkExchange, uma empresa on-line que venderam para a Microsoft por USD 265 milhões. Assumiu o cargo de CEO da Zappos em 1999, alavancando as receitas de USD 1,6 milhão em 2000 para mais de USD 1 bilhão em 2009.

Em 2009 a Zappos foi vendida para a Amazon por USD 1.2 bilhões. Jeff Bezos, fundador e presidente da Amazon, acredita que o foco no cliente é a melhor estratégia para garantir resultados no longo prazo e admirava a obsessão da Zappos pelos clientes.

E como a Zappos começou?

Arthur Schopenhauer

Talento é quando um atirador atinge o alvo que os outros não conseguem. Gênio é quando um atirador atinge um alvo que os outros não vêem

O desafio de escrever e publicar um e-book

Quero te contar sobre como eu escrevi e publiquei o meu e-book de planejamento para mulheres empreendedoras. Quem sabe você se anima a lançar um e-book também, compartilhando o seu conhecimento e experiência com o mundo.

Tudo começou com o desafio do hábito, um programa de sete semanas em que sete mulheres corajosas toparam o desafio de mudar ou criar um hábito. (conheça um pouco mais sobre o desafio clicando aqui). Com o lema “não basta ser Coach, tem que participar”, além de promover e coordenar o programa, orientar as participantes e organizar os encontros, eu me comprometi a criar um novo hábito e participar ativamente do desafio. O meu objetivo era criar o hábito de escrever durante 30 minutos no mínimo 3 x semana.

O início não foi fácil. Houveram muitas interrupções e distrações. E nesse ponto foi muito interessante perceber como a maioria dessas distrações eram causadas por mim mesma, pelo fato de eu arrumar inúmeras outras atividades para fazer nos momentos em que deveria estar escrevendo, uma espécie de autossabotagem. E como tudo começou a ficar mais fácil?