O desafio de escrever e publicar um e-book

Quero te contar sobre como eu escrevi e publiquei o meu e-book de planejamento para mulheres empreendedoras. Quem sabe você se anima a lançar um e-book também, compartilhando o seu conhecimento e experiência com o mundo.

Tudo começou com o desafio do hábito, um programa de sete semanas em que sete mulheres corajosas toparam o desafio de mudar ou criar um hábito. (conheça um pouco mais sobre o desafio clicando aqui). Com o lema “não basta ser Coach, tem que participar”, além de promover e coordenar o programa, orientar as participantes e organizar os encontros, eu me comprometi a criar um novo hábito e participar ativamente do desafio. O meu objetivo era criar o hábito de escrever durante 30 minutos no mínimo 3 x semana.

O início não foi fácil. Houveram muitas interrupções e distrações. E nesse ponto foi muito interessante perceber como a maioria dessas distrações eram causadas por mim mesma, pelo fato de eu arrumar inúmeras outras atividades para fazer nos momentos em que deveria estar escrevendo, uma espécie de autossabotagem. E como tudo começou a ficar mais fácil? Com persistência e aplicação das técnicas e ferramentas que eu estava compartilhando com o grupo. E o resultado foi que, no final das sete semanas, eu estava muito emocionada e celebrando o fato de ter o texto do meu e-book pronto.

E os próximos passos eram: estruturar o e-book, publicar e divulgar.

Resolvi buscar alguns modelos de e-book na internet, perdi umas 8 horas para fazer a diagramação por conta própria e… não tive coragem de publicar. Descobri que não tenho vocação para ser designer e tive que assumir que a diagramação tinha ficado muito ruim (rsrsrsrs).

O texto foi escrito com muita atenção e carinho, e queria poder divulgar com um formato que demonstrasse o mesmo cuidado, então optei por buscar indicações de designers gráficos para fazer uma diagramação mais profissional.

Como trabalhei durante muito tempo da minha carreira profissional com mapeamento e gestão de processos de negócio, tenho o costume de estimar o tempo previsto e registrar o tempo de realização das minhas atividades. E esse costume, ou hábito, me permite realizar avaliações ao final de cada projeto para promover melhorias contínuas, ganhar agilidade e ser cada vez mais produtiva.

Vou explicar melhor: após selecionar a designer (a querida e super competente Juliana Braga 😍), fazer o orçamento e iniciar as atividades de diagramação, eu sempre ia anotando os eventos, em uma planilha muito simples, com a data e a tarefa realizada. E esses registros me permitiram ter uma visão geral do processo para que eu pudesse identificar as atividades críticas e que poderiam ser otimizadas para projetos futuros.

 

 

E quais foram os pontos críticos?

1) Diagramação

Essa etapa incluiu as atividades de fazer o projeto gráfico, ajustes e aprovação. Mas nesse ponto o que demorou mesmo foi o fato de que o texto estava muito grande, com 70 páginas, e eu acabei usando mais 17 dias para revisar o texto e fazer uma versão mais compacta. E isso gerou um serviço extra não programado para ambas as partes (desculpa aí, Ju).

2) Revisão

No meio do caminho optei por selecionar colegas empreendedoras para fazer a revisão do e-book já diagramado, praticamente pronto. Demorou um pouco mais de tempo, mas foi uma experiência gratificante receber vários feedbacks e sugestões de melhoria, corrigir erros ortográficos, fazer algumas modificações de imagens e incluir páginas.

3) Ajustes finais

Tive que me controlar para tentar não solicitar muitos ajustes extras. Nessa etapa descobri que cada vez que a gente lê o texto de novo, encontra algum item que pode ser melhorado. Seguindo as orientações da Juliana, coloquei meu foco somente nas correções já identificadas anteriormente por mim e pelas revisoras, fazendo os testes finais de links e não solicitando nenhuma modificação adicional.

E os benefícios de mapear o processo?

Ter um propósito maior (ajudar as mulheres empreendedoras com um guia prático de planejamento), um objetivo muito claro e definido (publicar meu e-book até o final de julho/2017) e o monitoramento das etapas do processo fez com que eu curtisse cada momento. Você já deve ter ouvido aquelas frases inspiradoras de que “o processo é mais importante do que o resultado”, ou que “a jornada é mais importante que a chegada”. Consegui vivenciar essas frases e cada pequena conquista era celebrada com muito entusiasmo, me fortalecendo para dar o passo seguinte.

O fato de ter registrado o tempo das etapas me permitiu fazer uma avaliação dos pontos críticos citados acima e me preparar melhor para o próximo desafio, que é lançar o meu próximo e-book na metade do tempo, em 2 meses. 😉

Eu e a Juliana já reservamos espaço na agenda até o final do ano, e só esse gesto já é um próximo passo significativo e desafiador.

Quer fazer o download do e-book? Clique aqui então.