Delegação, protagonismo e bolinhos de polvilho

Delegação, protagonismo e bolinhos de polvilho

Quando eu era pequena muitas vezes tentava me aventurar na cozinha. Não me lembro com tantos detalhes da época nem do que eu tentava preparar. O que eu me lembro bem era de uma frase da minha mãe: “deixa que eu faço”. E ao dizer essa frase eu perdia não só a colher pra mexer a panela mas também a oportunidade de praticar, tentar e aprender.

O objetivo desse texto não é ficar reclamando da minha mãe. E eu também nunca tive o sonho de participar de concursos de culinária ou ser uma chef de cozinha (viva o delivery). A minha intenção é fazer você refletir se no seu dia-a-dia está tendo atitudes semelhantes, como por exemplo:

  • centralizar atividades e assumir responsabilidades que não são suas, evitando delegar (e depois se queixar que não tem tempo);
  • deixar de ensinar outras pessoas e acabar fazendo no lugar delas;
  • fazer com que outras pessoas executem atividades que são suas, perdendo a oportunidade de aprender coisas novas;
  • ficar na zona de conforto e terceirizar “atividades chave” e importantes.

Já aconteceu de você estar conversando com uma pessoa e se perceber completando uma frase ou pensamento no lugar dela? Quando você faz uma coisa por outra pessoa você está quebrando o fluxo de pensamento, o raciocínio, e de certa forma impedindo que ela crie as conexões cerebrais que são necessárias para ela entender melhor o assunto e consolidar aquele aprendizado.

“Melhor do que dar o peixe é ensinar a pescar”

E como delegar atividades?

A importância das amigas na conquista de um novo hábito

A importância das amigas na conquista de um novo hábito

É tão bom estar cercada de amigas, trocar experiências, bater papo, dar boas risadas. E ter uma colega ao lado nas horas difíceis, nos momentos de dificuldade, em tempos de mudança, pode fazer toda a diferença.

Mas como saber se essa colega é uma amiga ou uma cúmplice?

Segundo os autores do livro “Mude tudo que quiser“, os amigos são aqueles que te ajudam a alcançar os objetivos e os cúmplices são os que te distraem e sabotam seus esforços para mudar.

Citando um exemplo: imagine que você está tentando mudar o seu hábito de fazer menos compras e economizar dinheiro para a viagem dos seus sonhos. E compartilha essa sua decisão com a sua colega mais próxima. Ela estará fazendo o papel de “amiga” naqueles momentos em que você vai tirar o dinheiro ou cartão de crédito da bolsa para gastar e te lembrar do seu objetivo maior, da sua viagem, fazendo você refletir se a compra é realmente necessária. Por outro lado, se essa colega insistir com você em continuar indo ao shopping durante o intervalo de almoço, ou ficar te contando sobre as compras que ela fez, falando coisas como “só uma comprinha não vai fazer tanta diferença assim no seu orçamento”, ela vai estar sendo cúmplice, e te afastando do seu objetivo, da sua viagem.

Transformar alguns “cúmplices” da sua vida em “amigas de verdade” soma mais de 60% às suas chances de sucesso.

Identificando A ÚNICA coisa: o que realmente importa

Identificando A ÚNICA coisa: o que realmente importaCompre aqui

Este livro tem uma abordagem muito interessante sobre como manter o foco e obter melhores resultados.

“Aqueles que se concentram em apenas uma única coisa são os que avançam neste mundo.” Og Mandino

Desafia uma série de crenças estabelecidas, denominadas mentiras sobre o sucesso, como:

  • O sucesso é complicado
  • Tenho muita coisa pra fazer
  • Farei mais coisas se fizer tudo ao mesmo tempo
  • A pessoa bem sucedida é aquela que é disciplinada
  • A força de vontade está sempre a disposição
  • Preciso ter mais equilíbrio de vida
  • Talvez eu não devesse sonhar tão alto

 

Segundo os autores, essas mentiras nos enganam e tiram nosso foco, fazendo-nos desviar do nosso caminho e termos aquela sensação de que fazemos muito e obtemos pouco. Comparando nossas ações a dominós em queda, afirma que, se temos a clareza do nosso objetivo principal – “a ÚNICA Coisa” – e alinhamos nossas ações, com um simples toque podemos iniciar uma reação em cadeia de poder surpreendente.

A chave está no tempo. O sucesso é construído sequencialmente. Uma única coisa por vez.

Os autores fazem um desafio muito interessante para que o leitor encontre o caminho simples para a produtividade, por meio da pergunta foco: “Qual é a ÚNICA Coisa que posso fazer de modo que, ao fazê-la, o restante se torne mais fácil ou desnecessário?”

Em seguida, apresenta alternativas para que o leitor conquiste resultados extraordinários, abordando temas como: propósito, felicidade, prioridade, produtividade e responsabilização.

Utilizando diversos exemplos e citando pesquisas muito interessantes, torna a leitura agradável e estimula a aplicação dos conhecimentos, para que a atenção se concentre no que realmente importa para obter melhores resultados: A ÚNICA Coisa.

Keller, Gary; Papasan, Jay. A única coisa. Barueri, SP: Novo Século Editora, 2014.